SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO

SISTEMA TOYOTA

O Sistema Toyota de Produção (TPS – Toyota Production System) é obra de Eiji Toyoda, da família proprietária da Toyota, e de Taiichi Ohno, chefe da engenharia da empresa. Toyoda e Ohno, em visita aos Estados Unidos nos anos 1950, concluíram que o principal produto do modelo de Henry Ford era o desperdício de recursos – esforço humano, materiais, espaço e tempo. Fábricas gigantescas, pilhas de materiais em estoque, grandes espaços vazios, pessoas com tarefas muito limitadas. O desperdício mais importante era o desperdício do esforço humano – grandes contingentes de funcionários com sua capacidade subaproveitada, trabalhando em tarefas minúsculas, alienados e desmotivados.

Para ser eficiente e competitiva, a Toyota precisaria modificar e simplificar o sistema de Ford, tornando-o mais racional e econômico. Essa conclusão foi decisiva para a implementação do Sistema Toyota de Produção.

O Sistema Toyota de Produção está ancorado na filosofia da “eliminação completa de todo e qualquer desperdício”. Para eliminar desperdícios, os processos produtivos implementados pelos fundadores da Toyota incorporaram, desde o início, os embriões dos dois princípios fundamentais do TPS: Jidoka e just-in-time. Kaizen é a ferramenta que faz o sistema se aprimorar continuamente.

  1. Jidoka: interromper o andamento das máquinas e das linhas de produção quando ocorre qualquer tipo de problema ou defeito.
  2. Just-in-time: fabricar apenas a quantidade necessária de produtos.
  3. Kaizen: práticas de aprimoramento contínuo.

O TPS é um conceito complexo, com várias partes que se articulam para fornecer produtos de alta qualidade a custo baixo. Há muito tempo, “todos querem ser Toyota” e usar seus conceitos de “lean”: produção enxuta, administração enxuta, desenvolvimento enxuto etc.

Conheça mais: MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdução à Teoria Geral da Administração, 3a. edição, São Paulo: Editora Atlas.